GREGORY PORTER
JUL 16 | 23:15
Gregory Porter voz / vocals
Tivon Pennicott sax tenor / tenor sax
Chip Crawford piano
Jahmal Nichols contrabaixo / double bass
Emanuel Harrold bateria / drums

 PRÉMIOS E RECONHECIMENTOS  |  AWARDS AND RECOGNITION

  

  # Grammy® “Best Vocal Jazz Album” 2014 (Liquid Spirit)

  #1 JazzFM Awards “Impact Award” 2016

  #1 JazzFM Awards “International Jazz Artist of the Year” 2015

  #1 JazzFM Awards “Live UK Show of the Year” 2013

  #1 Jazz Journalists Association “Male Vocalist” 2013-2016

  #1 JazzTimes Critics’ Poll “Male Vocalist” 2013-2015

  #1 DownBeat Critics’ Poll “Male Vocalist” 2014, 2015, 2016

  #1 DownBeat Critics’ Poll “Jazz Artist of the Year” 2014

  #1 DownBeat Critics’ Poll “Rising Star Jazz Artist” 2013

  #1 DownBeat Critics’ Poll “Rising Star Male Vocalist” 2013

  #1 JazzTimes Readers’ Poll “Artist of the Year” 2015

  #1 JazzTimes Readers’ Poll “Male Vocalist” 2011, 2014

  #1 JazzTimes Readers’ Poll “New Artist” 2012

  #2 DownBeat Critics’ Poll "Male Vocalist" 2013

  #2 DownBeat Critics’ Poll "Male Vocalist" 2012

  #2 DownBeat Critics’ Poll "Blues Album of the Year" 2012 (Be Good)

  #3 DownBeat Critics’ Poll "Rising Star Male Vocalist" 2012

  #4 DownBeat Critics’ Poll "Jazz Album of the Year" 2014 (Liquid Spirit)

  # Nomeação para Grammy® “Best R&B Song” 2014 (Hey Laura)

  # Nomeação para Grammy® “Best Vocal Jazz Album” 2012 (Be Good)

  # Nomeação para Grammy® “Best Vocal Jazz Album” 2010 (Water)

  # Nomeação para Jazz Journalists Association "Musician of the Year" 2014

  # Nomeação para os Urban Music Awards “Best Jazz Act” 2016

  # Nomeação para os Urban Music Awards “Best Male Act” 2016

  # Nomeação para os BBC Music Awards "International Artist of the Year" 2016

Sempre fiel à matriz do jazz, Gregory Porter adiciona à sua música doses variáveis de soul music, R&B e gospel, interpretando-a sempre com plena compreensão de todo o processo criativo, uma técnica a todo os níveis irrepreensível e uma autoridade emocional difícil de igualar. Gregory Porter canta, de facto, de coração aberto diretamente para todos os corações que se deixem abrir à sua música. Cada passagem sua por um palco, uma experiência invariavelmente mais interessante do que em disco, tem como resultado uma tempestade musical e emocional à qual apenas ouvidos e corações de pedra poderiam ficar indiferentes.

 

Contando com o suporte de um grupo da mais alta estirpe, do qual fazem parte o pianista Chip Crawford, o saxofonista Tivon Pennicott, o contrabaixista Jahmal Nichols e o baterista Emanuel Harrold, o canto de Porter consegue aliar todos os melhores ingredientes dos grandes cantores da soul music, incluindo toda aquela alma enraizada no gospel, a uma técnica jazzística absolutamente perfeita, na qual o tempo em que profere cada sílaba constitui uma constante surpresa. Dir-se-ia mesmo que a surpresa é a maior constante na música de Gregory Porter, um cantor capaz de, em cada concerto, se reinventar, sem jamais se repetir, algo que o torna, irrefutavelmente, num dos mais impressionantes músicos e intérpretes do jazz de hoje.